top of page
  • Foto do escritorLuzimar Soares

Cidades e seus aniversários – São Paulo 470 anos


Rio de Janeiro, 02 de fevereiro de 2024.

*Luzimar Soares



Como o tempo passa, como o tempo voa,

Neste meu São Paulo, terra da garoa.

São Paulo de dante, que o bonde corria,

Na ruinha estreita, na garoa fria.

O luar de prata que não vorta mai,

Minha serenata no bairro do Braiz.

Como o tempo passa,...

Cidade singela que a saudade trais,

Da luz amarela, do lampião de gais,

Todo os bandeirante nóis vamo saudá,

São Paulo gigante, não pode pará.

Como o tempo passa, ...

A Light que acende lá nas marginais,

Viaduto se estende, tá crescendo mais.

Como o tempo passa,.......

Tonico e Tinoco.

 


No último dia 25 de janeiro, a cidade de São Paulo completou 470 anos.  É feriado e muitos eventos acontecem para celebrar a data. A cidade de São Paulo é considerada a que nunca para,o município onde sempre a qualquer hora do dia encontra-se algo para fazer, é eletrizante, diversa, múltipla, internacional, mundial, gigante, acolhedora, mas, também pode ser hostil, barulhenta, fria, com intermináveis congestionamentos de carros e de aviões, e por que não dizer de pessoas.


É esta cidade, que abriga as mais diversas nacionalidades, etnias, sotaques e também problemas, que faz aniversário em 25 de janeiro. Aqui na terra da garoa, (ou pelo menos foi), a vida tem um ritmo diferente, a belíssima avenida Paulista que abriga tanta história, festas, desfiles, museus, bares, restaurantes, bancos, e artistas de rua, por onde passam tantas pessoas, o primeiro lugar onde me perdi.




Crédito da imagem: Rodoviária Online.


No ano de 1989, cheguei a São Paulo, nascida e crescida no interior do Ceará. Essa metrópole me assustou muito, sua grandiosidade, seus barulhos, a quantidade de pessoas indo e vindo.  Minha primeira entrevista de emprego se deu em um dos lugares mais conhecidos da cidade, a Avenida Paulista, senti-me em desespero quando me vi sozinha, demorei muito para conseguir encontrar o caminho de volta, literalmente me perdi. 


Finalmente consegui retornar para casa e São Paulo passou a me desafiar e estimular ao mesmo tempo. A grandiosidade da urbe, suas muitas nuances continuam me deixando encantada.


Assim como grande parte das pessoas que vivem aqui, sou migrante nordestina e essa cidade me acolheu e continua acolhendo pessoas de todo o mundo. Assim como muitos, vi algumas transformações acontecerem na cidade e me recordo com uma certa nostalgia de alguns lugares que frequentei nos primeiros anos de São Paulo. Uma das minhas primeiras lembranças da cidade obviamente foi a rodoviária do Tietê. por onde cheguei. Tantas pessoas indo e vindo, as escadas rolantes, e finalmente o modal de transporte mais incrível que eu já tinha visto, o metrô.


A cidade que foi fundada em 1554 por padres Jesuítas, abriga muitas histórias, vidas, construções e demolições, reconstruções, novos traçados, novos pensamentos.  Cada ano, cada administrador, cada enchente, cada engenheiro de trânsito que modifica a mão das vias, que implementa ruas reversíveis, vão literalmente lendo e reescrevendo essa cidade.


São Paulo é uma cidade global e pode ser compreendida por vários aspectos: seus bairros cada dia mais característicos, seus prédios enormes, seus negócios que a torna a capital nacional quando se trata de capital financeira. Em 30 de setembro de 2021, o então Secretário de Relações Internacionais Luiz Álvaro Salles Aguiar de Menezes, escreve:


Construída por migrantes de todas as partes do Brasil e do mundo, com diferentes culturas e credos, São Paulo se transformou em um dos principais centros financeiros, de negócios, cultural, criativo e gastronômico do mundo. A nossa diversidade e a nossa pluralidade cultural são as principais marcas da nossa cidade Global. De acordo com as Nações Unidas, São Paulo é o 4º. maior aglomerado do mundo, sendo a maior cidade do Brasil, do continente Sul-Americano e de língua portuguesa do planeta.

A São Paulo que Caetano Veloso canta:


Alguma coisa acontece no meu coração

Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João

É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi

Da dura poesia concreta de tuas esquinas

Da deselegância discreta de tuas meninas...



O cruzamento da Ipiranga com a Avenida São João continua causando acontecimentos nos corações e nas vidas das pessoas que por ali passam, assim como, outros tantos lugares encantam e atraem. Para mim, é impossível falar sobre São Paulo e não mencionar a Rua 25 de Março. Um dos lugares mais plurais da urbe. Na verdade, toda aquela região que está próxima ao Mercado Municipal exerce um fascínio enorme, suas ruas apinhadas de gente, os gritos dos vendedores ambulantes, os coloridos das lojas, os mais diferentes sotaques e porque não dizer línguas, pois, naquele espaço muitos estrangeiros fazem seus negócios.



Crédito da imagem: VejaSP.



No último 25 de janeiro muitos meios de comunicação publicaram matérias sobre a cidade, seus muitos atrativos, a importância do dia, as celebrações e uma em especial me chamou a atenção. O Metrópolis trouxe uma matéria de Jessica Bernardo que em seu primeiro paragrafo já prende o leitor:


Quantas histórias cabem em 470 anos? E quanto uma paisagem pode mudar em tanto tempo? A cidade de São Paulo, que faz aniversário nesta quinta-feira (25/1), tem personagens que vêm escrevendo, ao longo dos séculos, a crônica de uma metrópole em constante transformação.

Os paulistanos, as paulistanas, nascidas ou migrantes, pessoas comuns que mantêm essa cidade cada dia mais pulsante, mais global, mais internacional e também mais local, são personagens da matéria acima. São pessoas que mantêm a cidade em movimento, e são as pessoas comuns, aquelas que trabalham dia após dia para construir essa cidade que gostaria de homenagear.




Crédito da imagem: Prefeitura de SP.


O aniversário de São Paulo é dia de celebrar também a capacidade de cada mulher e de cada homem de continuarem construindo essa cidade com seus braços. São Paulo da Sé, do Ipiranga, do Brás, da ZL, do Morumbi, dos shoppings centers, dos museus, dos teatros, dos musicais, das escolas de samba, dos centros financeiros, do Largo da Concordia, das igrejas, da rua das noivas, dos prédios abandonados, dos condomínios de luxo, das favelas, da melhor universidade pública do país – USP, das grandes periferias a São Paulo de todos, todas e todes, parabéns e obrigada.


Referências:


BERBARDO, Jessica. 470 de SP. Disponível em: https://www.metropoles.com/sao-paulo/aniversario-de-sp-as-historias-de-quem-vive-nos-470-da-cidade. Acesso em: 25 jan. 24.  

B. Trajano / Tinoco / Tonico. São Paulo da Garoa. Disponível em: https://www.letras.mus.br/tonico-e-tinoco/887344/. Acesso em: 30 jan. 24.

Da Redação. Por que o aniversário de São Paulo é comemorado dia 25 de janeiro? Veja a origem da data. Disponível em: https://exame.com/pop/por-que-o-aniversario-de-sao-paulo-e-comemorado-dia-25-de-janeiro-veja-a-origem-da-data/. Acesso em: 26 jan. 24.

VELOSO, Caetano. Sampa. Disponível em: https://www.letras.mus.br/caetano-veloso/41670/. Acesso em 31 de jan. 24.



*Luzimar Soares é historiadora (PUC-SP/USP).


Gostou do texto? Então não deixe de clicar no coração aqui embaixo e de compartilhar. E deixe seu comentário ou dúvida!

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page