top of page
  • Foto do escritorBox Digital

Afroturismo é a melhor forma de aquilombar

Hubber Ramos Clemente*

São Paulo, 01 de março de 2022.



Tempos difíceis em que vivemos... muito preconceito, muito ódio, muita intolerância... se observarmos a história do mundo, dos primórdios até os tempos atuais, não me surpreende que estejamos nesta situação. Nós, como humanos, não conseguimos conviver de forma pacífica, pois, nossas diferenças na maioria das vezes superaram as nossas afinidades. Na maior parte dos tempos, tentamos nos impor por guerras, conflitos, simplesmente para obtermos poder sobre o outro. Respeitar e amar ao próximo, sem conexões religiosas, tornaram-se atos de resistência.


Crédito: Wix.


Uma destas formas de resistir que os negros escravizados encontraram foi através dos Quilombos. Foi a alternativa encontrada para fugir da mazela da escravidão que afetou nosso país por mais de trezentos anos, um local seguro, onde juntos construíram uma sociedade colaborativa, para existir e resistir. E uma das formas que encontrei para resistir aos tempos difíceis que estamos passando é me Aquilombar com quem deseja ver um mundo melhor, apesar da falta de esperança para esta realidade no momento.


O que muitas pessoas desconhecem é que os Quilombos eram um local seguro para todos os grupos que eram oprimidos. Em sua maioria eram negros, porém também haviam índios e brancos. Este fato me ensina que a luta por um mundo mais diverso e inclusivo tem que incluir todos e não excluir ninguém. Na minha opinião, qualquer causa inclusiva que exclui, perde o seu propósito. Sempre estarei ao lado de todos aqueles que lutam contra qualquer tipo de preconceito.


A sabedoria africana aconselha que quando você ficar em dúvida de qual caminho seguir, olhe para trás (para seus ancestrais), que descobrirá o melhor caminho. Seguindo este sábio conselho, encontrei no Aquilombamento a melhor forma de iniciar a mudança que desejo ver no mundo. E decidi iniciar esta jornada no setor da hospitalidade e turismo onde atuo há mais de 20 anos, minha vocação e paixão profissional. Escolha difícil, pois o turismo brasileiro é em sua maioria tradicional e conservador, geralmente omisso e negligente sobre os temas ligados à diversidade e inclusão.


Encontrei no Afroturismo a melhor forma de me Aquilmobar com aqueles que desejam um turismo e consequentemente uma sociedade sem exclusão, sem preconceitos. Assim como nos Quilombos, o Afroturismo é para todos. Quando você tem a abertura para praticar turismo com através da visão afrocentrada, se conectar com histórias e fatos que foram invisibilizados pelo racismo estrutural. No caso dos negros, reconecta com as histórias dos nossos ancestrais esquecidas ou até mesmo apagadas.... gera pertencimento, pois ao se ver nos lugares visitados, a identificação é imediata... gera conforto, segurança em estar junto aos seus... gera inclusão, pois as empresas que fazem parte do setor e desejam apoiar o afroturismo, aumentará o número de colaboradores negros, principalmente nos cargos estratégicos... enfim, produz ótimos resultados para todos que desejam ver uma mudança no mundo para melhor. E volto a afirmar, o Afroturismo não é restrito aos negros, é para todos, todos são bem vindos a afroturistar.

E me Aquilombando através do Afroturismo, também posso me Aquilombar com outras causas importantes de outros grupos excluídos formando um Aquilombamento Estratégico Progressista com todos aqueles que desejam agir, sabendo que quando se trata do combate ao preconceito, tudo é para ontem.


*Hubber Ramos Clemente é negro, paulistano, que ama sua cidade, principalmente o centro da cidade, local de importância histórica e ancestral para o povo negro, onde também fica sua escola de samba do coração, a Vai Vai. Hoteleiro por vocação e paixão, com mais de 22 anos de carreira no setor, sempre inquieto em prol da evolução do setor através da inovação e disrupção das gestões, através das aplicações de técnicas adquiridas nos cursos de Design Thinking, Big Data, Gestão de Viagens e Diversidade & Inclusão. Ativista, militante, divulgador do AFROTURISMO como caminho de inclusão racial, diversidade, resgaste histórico e conexão ancestral através do turismo, visando uma sociedade melhor e mais justa. Fundador da iniciativa: Negros e Pretos Afro Turismo Afro Hotelaria, Co- fundador do Papo de Hoteleiro, integrante da comunidade de inovação Inovadores Inquietos, Coletivo pelo Afroturismo, do Comitê da Diversidade no Turismo e Conselheiro Comercial do Coletivo Quilombo Aéreo.

Referências:

Negros e Pretos Afro Turismo Afro Hotelaria. Disponível em: https://www.youtube.com/channel/UCOfLEpPj8UUojZk_ljZRZrQ Acesso em: 20 fev. 2022.

Papo de hoteleiro. Disponível em: https://www.youtube.com/channel/UClh2KEBi5RZjxtEA4KU03OQ Acesso em: 20 de fev. 2002.

Coletivo Quilombo Aéreo. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=FEpGnGNQc9U Acesso em: 20 de fev. 2022.

49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page